quinta-feira, 12 de junho de 2014

Em pé de guerra

Aplicativos já cadastram carros particulares para corridas

Pagamento? Não! Doação. Com essa premissa, o empresário carioca Yonathan Yuri Faber, de 28 anos e formado em Direito, criou o Zaznu, um aplicativo brasileiro de carona remunerada. A novidade, que o jovem importou de São Francisco, nos Estados Unidos, onde morou por dois anos, desembarcou nos smartphones do Rio em 12 de março, provocou reação de taxistas e já virou objeto de investigação da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), acionada pela Secretaria municipal de Transportes, que considera o serviço irregular.
A despeito de tanto ti-ti-ti, o Zaznu está bombando. Nas contas de Yuri, hoje no Rio estão cadastrados e atuando ativamente quase 600 motoristas de automóveis particulares. Incluindo São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre, já são mil. E os passageiros chegam a 60 mil no país, dos quais 35 mil no Rio.

NO UBER, SÓ MOTORISTAS PROFISSIONAIS

Diferentemente do Zaznu, no Uber o passageiro não faz doações. Simplesmente, paga pelo serviço. Segundo Solamon Cruz Estin, lançador do Uber no Brasil, a empresa só cadastra motoristas profissionais — embora não sejam taxistas — e usa carros executivos.
— Oferecemos um serviço melhor, mais sofisticado e mais confortável que o dos táxis — garante Solamon. — O preço é um pouco superior ao dos táxis; em média, 30%.
Já a equipe de Yuri começou a delinear o projeto do Zaznu em agosto do ano passado, tendo como modelo o Lyft — concorrente do Uber, em São Francisco.

 Também por e-mail, o delegado Alessandro Thiers, titular da DRCI, confirma que “existe uma investigação em curso sobre aplicativos em que pessoas utilizam carros particulares para realizar serviço irregular de transporte de passageiros sob cobrança”. Está sendo investigada “a contravenção de exercício ilegal de profissão ou atividade”.

No Zaznu, não existem taxímetros. No fim do trajeto, há um cálculo sugerido — entre 20% e 35% inferior ao preço de uma corrida de táxi —, e o passageiro decide se confirma ou não a doação. Só que os motoristas podem avaliar os usuários; e vice-versa. Com isso, quem não paga tende a ser rejeitado por donos de veículos.

Além de smartphone (com sistemas operacionais iOS e Android), motoristas e passageiros do Zaznu precisam ter conta no Facebook. A empresa fica com 20% das doações. O mesmo percentual corresponde à fatia das transações que fica com o Uber.

O interessado em ser motorista do Zaznu tem que preencher cadastro no site (zaznu.co) ou via aplicativo. Em prol da segurança, deve anexar documentos (carteira de habilitação, seguro do carro, comprovante de residência e documento do veículo). Quem pleiteia ser "caronista" tem ainda que possuir uma conta no Facebook, que permite traçar o seu perfil. Depois, a pessoa é chamada para uma entrevista no escritório da empresa. Para os “caroneiros”, o cadastro e a conta no Facebook também são fundamentais. Outra exigência é que forneçam o número de um cartão de crédito, pois as doações são feitas através dele. Aliás, o cartão de crédito é também a única forma de o passageiro do Uber pagar pela corrida.

Yuri tem um sócio israelense, que é programador e mora nos Estados Unidos. Como tem uma empresa prestadora de serviço, ele garante que paga tributos pelas transações à prefeitura. A firma está funcionando num sobrado em Botafogo e, logo, logo, seus dez funcionários vão virar 20. Quanto ao valor do investimento, o empresário faz segredo.

OAB VÊ SERVIÇO ILEGAL

A batalha dos donos de aplicativos para levar adiante seu negócio não será fácil. Veja o que diz o advogado Jonas Lopes, presidente da Comissão do Direito de Transporte da OAB-RJ:

“A questão ainda não chegou ao Judiciário, nos restando interpretar a legislação vigente.

O código civil prevê a questão em seu artigo 736, que diz que ‘não se subordina às normas do contrato de transporte o feito gratuitamente, por amizade ou cortesia" e que "não se considera gratuito o transporte quando, embora feito sem remuneração, o transportador auferir vantagens indiretas’.

Em aplicativos onde qualquer pessoa se cadastra para oferecer carona e qualquer um pode usufruir dela fica um pouco mais distante a caracterização de simples cortesia, ficando mais evidente uma prestação de serviço.

Por mais que muitos aplicativos defendam que a remuneração é opcional, devendo ser considerada doação, na prática, acreditamos que quem se cadastra para oferecer carona, certamente não irá aceitar fazê-lo a um desconhecido sem que seja feita a “doação” correspondente, que, em alguns aplicativos, é inclusive pré-fixada.
O Código de Transito Brasileiro veda essa prática. Em seu artigo 231, afirma que transitar com o veículo efetuando transporte remunerado de pessoas ou bens, quando não for licenciado para esse fim, salvo casos de força maior ou com permissão da autoridade competente, é infração média, prevendo multa e retenção do veículo. (Matéria extraída de reportagem no jornal O GLOBO)


Piratas de aplicativos  partem para a ofensiva

Sob o título "Cartel dos  taxistas contra aplicativos para caronas", os empresários que importaram o modelo norte-americano fizeram a defesa de sua pirataria numa extensa matéria em que se posicionam contra o "monopólio do mercado".  CLIQUE AQUI e veja matéria sob encomenda dos donos dos aplicativos.


 Taxistas param capitais da Europa em protesto contra jogo sujo de aplicativo

Londres parou nesta quarta-feira por protestos de taxistas
Londres, Berlim, Paris e Madri enfrentaram nesta quarta-feira um dia de caos no trânsito por conta de um dos maiores protestos de motoristas de táxi contra o Uber, um serviço que permite às pessoas buscar motoristas particulares de maneira compartilhada pelo celular.
 
Em Paris, as pessoas enfrentaram dificuldades entrar na cidade pela manhã, já que os táxis prejudicavam o trânsito nas principais vias da cidade. Em Londres, cerca de 12 mil taxistas planejam bloquear as ruas ao redor da Trafalgar Square, perto da residência oficial do primeiro-ministro David Cameron, durante a tarde (horário local).
Motoristas de taxi em toda a Europa dizem que aplicativos de companhias como a norte-americana Uber Technologies estão ferindo as regras do serviço de táxi na União Europeia e ameaçando suas fontes de renda.
A Uber, avaliada na semana passada em US$ 18,2 bilhões, com apenas quatro anos de vida, e apoiada por investidores como Goldman Sachs e Google, argumenta que seu aplicativo homônimo respeita as regulamentações locais e que é alvo de protestos por causa de seu sucesso em conquistar clientes.

28 comentários:

  1. JA SE NAO BASTASSEM OS QUE SAO
    EXPLORADORES DOS TAXISTAS
    AGORA TEMOS MAIS UM
    INIMIGO OS APP
    DE CARONA
    TA FODA
    FDP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é consequência do sistema mercantil e escravocrata aplicado nesta profissão de taxista. O sistema é perverso e o auxiliar pode explorar outro auxiliar, basta comprar um táxi e alugar uma permissão ou alvará.

      Nós da Ordem dos Taxistas do Brasil temos a solução para os atuais problemas, mas a maioria prefere defender o atual sistema, vamos ver até quando.

      Excluir
  2. Foi nosso primeiro movimento internacional contra o Uber

    It was our first international protest against uber

    Realmente foi difícil articular os horários mas conseguimos fazer quase q simultaneamente
    Obrigado a todos q participaram no RJ

    It was difficult to articulate the hour but we made it almost simultaneously thanks for cariocas cab drivers!!

    Em londres começou as 2pm
    In london it was 14h the beginning of the protes

    No Brasil às 8h com convocação de 6h
    In Brazil 8am with concentration 6am

    ResponderExcluir


  3. PRINCIPALES CIUDADES QUE PARTICIPAN EN EL MOVIMIENTO DE 06/11/14
    CONTRA LAS PLATAFORMAS START- UP DISRUPTIVAS
    ----------------------------------------------------------------------------------------------
    PARÍS,
    LILLE,
    LE HAVRE,
    BURDEOS,
    PERPIGNAN,
    AVIGNON,
    CANNES,
    NIZA,
    MARSELLA,
    LYON,
    NANCY,
    REIMS,
    SEDAN...
    ---------------------------------------------------------------------------------------------
    ROMA,
    MILÁN,
    TURÍN,
    -----------------------------------------------------------------------------------------------
    MADRID,
    BARCELONA,
    VALENCIA
    BILBAO
    -------------------------------------------------------------------------------------------------
    LONDRES,
    --------------------------------------------------------------------------------------------------
    BERLÍN,
    HAMBURGO,
    DUBLIN
    --------------------------------------------------------------------------------------------------
    ATENAS,
    ----------------------------------------------------------------------------------------------------
    RÍO DE JANEIRO,
    ----------------------------------------------------------------------------------------------------

    ResponderExcluir
  4. Que medidas a Prefeitura esta tomando sobre essa pirataria? A Prefeitura cria medidas, novo cod disciplinar ( trocar carro com mais de 6 anos, monitoramento com taximetro que vai custar o olho da cara trabalhando no minimo 6hs por dia, pontuaçao sujeito a penalidades se caso acumular 20pontos, e muito mais...) isso tudo para os taxistas regulamentafos que pagam suas taxas (SMTR,IPEM,seguro terceiros, detetizaçao, sindicato judas, e tantad outras...) E a pirataria do Zaznu? Quem fiscaliza, pune e prende? Se a propria Prefeitura coloca informativos luminosos escrito "carona solidaria"? Uma passageira outro dia me falou: 'A Prefeitura faz a propaganda entao eu confio.' Assim fica dificio trabalhar corretamante, pois quem trabalga de forma honesta e fiscalizado, cheio de regras e sem nenhum apoio da midia, enquanto a pirataria faz o que quer e tem ate apouo da midia. Basta colocar no You Tube e ver videos da CBN, Joana Jatoba(jornalista da globo), apoiando essa pirataria. Assim fica dificil trabalhar! O pais da malandragem,safadeza, e que tudo que esta errado da certo.

    ResponderExcluir
  5. "Fuja, permaneça ajoelhado ou lute para mudar o sistema aplicado na profissão de taxista no Brasil. "

    Ordem dos Taxistas do Brasil.

    ResponderExcluir

Lamentamos ter de adotar essa medida: devido aos abusos nas agressões grosseiras que ofendem minha DIGNIDADE E COMO SE POR ENCOMENDA, a partir de agora, por algum tempo, o seu comentário só será publicado após moderação.